Tuesday, May 31, 2005

Ok. thau thau

-Seria pra ouviar uma declaração?-

Teve um momento, depois teve mais três mil.
E outros quatrocentos que ainda viram em meu peito que é forçado a ficar mudo.
Se eu não posso falar
Não posso ouvir
E ainda tenho que pedir perdão.
Percebe o quanto isso pode ser vulgar?

Outro dia os trabalhadores voltavam para casa explorados e felizes quando que eu da janela aqui de casa comia algo trangênico e fumava um cigarro, mas vou fugir daqui. O problema é essa cidade, essas aparências que me enchem o saco. No mesmo dia em que eu sair por essa porta, eu saio de porta aberta, vou ter um novo amor e terei de abandona-lo e ele pensara em mim. Mas eu vou fugir porque esse transito esta me fodendo a vida, porque eu to na faculdade e não consigo estudar, tenho uma banda que não sabe tocar e tenho uns amigos que eu não sei onde estão. É eu não sei onde estão.

Queria te contar um sonho
Queria contar a te vinte e desligar seu numero da minha memória
Alguém te congelou
E agora você quer que eu me foda
É
Eu estou aqui, me fodendo.

Sabe o que mais te assusta?
É perceber o quanto sua vida também é medíocre
Você já tentou fugir
E até tomou decisões pra chamar atenção (o quanto que você quer se livrar
Da sua vidinha alheia, medíocre)
Mas agora, sozinho no seu apartamento verde
Só a inutilidade te cerca.
Como é ruim ser bom de papo
E péssimo de ação.

Saber me maltratar
Taí. Isso você faz bem
Mas deixa de ser idiota
Que isso não vai transformar o mundo.

1 comment:

Worm said...

Como diria o Demente, a cada dia que passa percebemos o quanto não temos amigos, o quanto estamos sozinhos no mundo. Sozinhos.

Horrível.
Também não sei onde estão meus amigos. Na verdade nem quero saber. Quero distância dessas coisas.

Bjosss