Wednesday, April 27, 2005

Aula

-O termômetro azedo da sua existência-

Seguindo a lógica terrível de seus atos críticos, você irá arder nos próximos 20 anos toda aquela sua nervosa revolta e será englobado pelo próprio sistema que precisa de toda sua educação paga para se manter.Vamos aos pontos:
-Quais são os profissionais que o sistema precisa para continuar funcionando perfeitamente?
R: Precisam de dois tipos destes; o Primeiro é aquele profissional medíocre, limitado onde nele o sistema deita e role e faça o trabalho dito sujo do qual o sistema se alimenta.O outro tipo de perfil é o daquele profissional de caráter crítico e inteligência capaz de sacar todos os podres que o sistema tem, ou seja, entende-lo perfeitamente como ele funciona para poder mantê-lo da forma mais forte cada vez mais.


Então estou tremendo.Pra onde foi mesmo toda a educação e minha revolta de vida? Se quando eu terminar a faculdade e me tornar uma pessoa crítica do sistema em que vivo, a única coisa que vou fazer é ajuda-lo a ele se manter e ficar cada vez pior? E assim, vivendo neste ciclo onde irão parar as utopias? Isso talvez seja o que mais me assusta.Me lembra uma cobra comendo seu próprio rabo: O cara mais revolto de suas condições, o mais estudioso e analítico deste sistema é o cara mais fera para mexer nele de acordo com suas vontades.

Questão:
Para onde irão as utopias?

Se o sistema vive de pessoas que são as mais criticas dele próprio e tais o ajudam a mantê-lo de forma que ele sempre revigora e seu poder recicla a cada instante o que mais podemos temer é para onde irão às utopias, os desejos de mudança.
Analise bem:
Aquele sujeito formado com tendências anarquistas agora é professor em uma escola onde a mensalidade é mais de um barão por mês e todos os seus chefes são uns bandos de reaça.Ele lá dentro tenta impor um projeto construtivista, mais humanitário onde seus alunos possam sair menos babacas do que já são.Os reaças sabem muito bem da formação daquele professor.Sabe que o cara esta longe de ser um babaca, um fascista.O colégio não abre mão de suas aulas e o professor já acha isso uma vitória.Só que também, o colégio controla todos seus passos para que ele não vá além, para que esse professor que tem tanta vontade de mudança dentro do peito fique controlado, ao lado deste sistema.Só que esse professor tem uma falha: Ele se desgasta, ele luta. ele se revolta com a escola por que seu erro é ser inocente demais.Seu erro é achar que ele e seus amigos de esquerda estão realmente sendo um diferencial na educação daqueles alunos.O erro é despencar toda sua revolta neste trabalho achando que já esta sendo feito algo.Quando nada esta sendo feito.É ai que esta o perigo.A morte da utopia.Ele próprio a matou.A cobra comendo seu próprio rabo.A morte de suas ações anestesiadas pelo fato dele ter uma visão do sistema que os seus outros colegas reaças não tem.
Difícil entender? Talvez, pois eu não sou mesmo muito clara.Nem tudo isso aí.

1 comment:

Worm said...

Nessa parte eu discordei... Eu acho que ele está fazendo algo. Como o FAro colocou na lousa: os dois tipos, hegemônicos e contra-hegemônicos... O que vem de fora... ele pode estar dentro, mas tbm está fora. Com as letras do Flicts,por exemplo... acho que fizeram muitas e muitas pessoas pensarem. E pensando, aspessoas agem. Pensa na revolução russa... os caras, as massas, eu digo, eram completamente letradas, cultas... adoravam ler, adoravam politica... isso que éimportante.não acho que sejaofim da historia,mtomenos das utopias... cada um fazendo seu pouco, juntos fazemos mto.